quinta-feira, 22 de maio de 2008

Não durma no ponto, use uma rede!!!


Por gostar muito de dormir em rede, resolvi ir atrás de algo relacionado a esta iguaria.E constatei que realmente é muito difícil alguém não se apoixanar por uma boa dormida de rede.Aprendemos esta arte de dormir em rede com os índios, eram as índias as responsáveis por tece-las e foram as mulheres portuguesas que aperfeiçoaram as técnicas.É isso aí, meio século após o descobrimento do Brasil os colonizadores - colonos agricultores e jesuítas - já haviam se rendido aos encantos relaxantes da rede.Atualmente nordestinos e nortistas são usuários mais fiéis das redes,consequentemente é por aqui que há a maior produção de redes, mais especificamente no Ceará, Piauí, Alagoas e Pernambuco. Aqui no Piauí o ponto de referência desta produção é a cidade de Pedro II, onde há a Oficina de Artesanato de Pedro II.

Percebe-se assim, que a rede não serve só para descansar, tirar aquela boa sesta; serve também como uma boa fonte de renda, tanto para as mulheres que tecem quanto para quem revende, hum... então não fique aí só dormindo! Atualmente muitos hotéis, pousadas, turistas têm comprado redes tanto para uso pessoal quanto para ornamentação de ambientes fazendo uma referência regional ao Norte e Nordeste. No mercado Velho de Teresina, você encontra cerca de 6 a 10 lojas especializadas na venda de rede, ou seja, essa área tem um bom público consumidor. As redes piuienses são consumidas por muitos turistas do Sul do Brasil, segundo José Wender um desses logistas, "mas os turistas estrangeiros também não perdem a oportunidade de levar uma para suas casas", diz ele.

Um comentário:

Luana Lia disse...

Oh, Karlinha! Boa matéria, comos empre né.. hauehuaie.
Aliás, de quem são as fotos, hein?